Catedral em Notícias 2ª Edição

EDITORIAL

“A gratidão de quem recebe um benefício é bem menor que o prazer daquele de quem o faz” (Machado de Assis)

A experiência da vida ensinou-me que se quisermos conhecer a vontade de Deus será necessário assumir, com generosidade e coragem, uma atitude de escuta. Escutá-lo no cotidiano de nossas vidas, com seus obstáculos e desafios. E deixar-se conduzir pelos meios e pessoas que Ele nos indica.

Há 03 anos, o Senhor me chamou para assumir um serviço de grande responsabilidade em sua messe: ser pároco da Catedral Metropolitana de Manaus. Atendendo a um pedido do Arcebispo e do Conselho Presbiteral, deixei a querida paróquia de São Francisco de Assis (no bairro de mesmo nome) e com alegria e com temor coloquei-me à disposição da Igreja, afinal de contas sou padre diocesano! E como presbítero, acredito que Deus revela-se deste modo, sempre nos desafiando, nos convidando a segui-Lo, nos consolando nas horas difíceis, nos reerguendo nas quedas, nos fortalecendo na fé e na esperança.

A verdade que se revela é que em todas as ocasiões que obedecemos a este chamado, podemos experimentar muitas alegrias, realizações, vitórias. A Obra é do Senhor e somos apenas seus servidores. Servos inúteis. Inúteis e infinitamente amados por Cristo. Ama-nos tanto ao ponto de nos convidar a sermos seus discípulos. E o discípulo sabe que o Mestre estará sempre ao seu lado, sempre lhe ensinando e lhe ajudando a vencer desafios. No início deste novo ano, irei vivenciar uma nova etapa em minha vida presbiteral, pois retornarei à Equipe dos Formadores do Seminário São José (situado na Maromba, bairro da Chapada). No período de 1998 a 2010, pude colaborar na formação dos futuros padres para a Igreja na Amazônia, além de fazer parte da coordenação do Serviço de Animação Vocacional (SAV). Foi um tempo de crescimento e aprendizado em todos os sentidos. A consciência das minhas fragilidades e imperfeições não me impede em dizer SIM, pois “sei em quem pus a minha confiança” (2Tm 1,12).

Agradeço imensamente a todos que estiveram ao meu lado nestes últimos anos. Louvo ao Senhor por todos os cristãos leigos e leigas que encontrei nesta jornada, em particular todos os agentes de pastoral que testemunharam, com dedicação e entusiasmo, o amor à Igreja. Exalto a fé do povo simples e humilde que frequenta a Igreja da Matriz, demonstrando que a devoção a Nossa Senhora da Conceição faz parte da história da nossa cidade e que merece todo o respeito e reconhecimento de nossa parte. Rezo para que o nosso querido Padre Charles Cunha, seja amado e acolhido da mesma forma que fui nesta breve passagem na Catedral de Manaus.

Padre José Albuquerque
Pároco da Catedral Nossa Senhora da Conceição

Publicar um comentário